Sophia de Mello Breyner Andresen

Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim.
A tua beleza aumenta quando estamos sós
E tão fundo intimamente a tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho
Que momentos há em que eu suponho
Seres um milagre criado só pra mim.

sábado, 26 de junho de 2010



Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.

3 comentários:

Cleo disse...

Oi amiga.. ai que gostoso navegar por esse mar tão lindo.....

Fernando Costa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando Costa disse...

Olá Marie!

- Adorei seu blog. Pena que você parou de postar...

- Porque parou? Parou porque? Estava indo tão bem...

- Visite o meu blog, dedicado à divina MAR, ao inteligente BARCO À VELA e ao sagrado MEIO AMBIENTE... Talvez lhe sirva de incentivo pra ressuscitar o seu...

- Dedico também um grande espaço às ARTES: fotografia, pintura, literatura, música, cinema e até ópera, tudo ligado à divina MAR.

- Como costumamos dizer, nós os marujos de barco à vela, bons ventos!

http://estreladalvacabofrio.blogspot.com/